Minha Poesia

Tive a sorte de ter dois pais.
Mais ainda, tive a sorte de ter um pai com experiência de um avô.
Homem negro, filho de mulher negra, solteira, que trabalhava na casa grande.
Aquele que sofreu muito preconceito na vida, por ser negro, pobre, por ter apenas a 4ª série que lhe era de muito valor.
Me ensinou tanto, tanto nesta vida.
Coisas como respeito, honestidade, amor, justiça sim e a lutar por igualdade!
Que se deve lutar, lutar, mesmo que a vida for injusta, mesmo que o mundo te faça sofrer.
Aquele que me nomeou e homenageou.
Pois onde lá já se viu, na história, uma criança nascer sem nome.
A você “vô” o meu eterno agradecimento, e as memórias levo comigo pra sempre nessa vida.
Talvez nunca consiga entender porque se foi tão cedo.
Mas o senhor sabe a história dos anjos né?
Eles não demoram muito por aqui!
Eu te amo minha poesia,
meu herói sim,
meu capítulo na história, cheinho de pura coragem e força!